Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Videoconferência inédita possibilita desacolhimento de três crianças em Pomerode.

O formato da audiência mudou e a Justiça não para em Santa Catarina. A 1ª Vara da Infância e Juventude da comarca de Pomerode realizou a primeira audiência naquela unidade por meio de plataforma virtual, disponibilizada pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). A juíza de Direito Iraci Satomi Kuraoka Schiocchet, titular da unidade […]

Publicado em 05/06/2020 às 08:00


O formato da audiência mudou e a Justiça não para em Santa Catarina. A 1ª Vara da Infância e Juventude da comarca de Pomerode realizou a primeira audiência naquela unidade por meio de plataforma virtual, disponibilizada pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC).


A juíza de Direito Iraci Satomi Kuraoka Schiocchet, titular da unidade judiciária, informa que o ato inaugurado na quinta-feira (26/5) p​ossibilitou o desacolhimento de três crianças abrigadas e seu retorno à casa materna. O acolhimento ocorreu há quase oito meses porque os infantes estavam em situação de vulnerabilidade – gravíssima violência paterna com negligência materna.

Após constatação de que a mãe se reestruturara, se afastara do pai agressor e se colocara firmemente no mercado de trabalho, foi possível o reencontro das crianças com a mãe. A audiência foi permeada de muita emoção. Além da magistrada, participaram do ato a promotora de Justiça Rejane Gularte Queiroz Beilner, a advogada Nadyane Belchior da Silva l, a oficial da Infância e Juventude Ana Paula Schneider Lucion de Lucas, a assistente social forense Esther Zipf, os psicólogos Thiago Cardozo e Susan Aline Dam e assistente social Thamara Loss Sottili, além da genitora das crianças. 

Todo o andamento processual foi possível respeitando a manutenção do isolamento social para a prevenção ao Covid-19, conforme recomendação do TJSC e Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O processo tramita em segredo de justiça.

Imagem: Comarca de Pomerode, Divulgação