Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos
  • Trânsito

Vereadores de Blumenau se reuniram nesta quinta-feira com a direção da empresa de ônibus Piracicabana para debater problemas do transporte coletivo. A frota hoje está em 205 ônibus sendo 187 estão rodando nas ruas. Até início de março serão 240 ônibus.

Estiveram presentes nesta reunião o presidente da Câmara de Vereadores Mário Hildebrandt (PSB), os vereadores Adriano Pereira (PT), Cezar Cim (PP), Fábio Fiedler (PSD), Jefferson Forest (PT), Jens Mantau (PSDB), Marcos da Rosa (DEM), Robinsom Soares (PSD) e Oldemar Becker (DEM).

Publicado em 19/02/2016 às 02:21


Vereadores de Blumenau se reuniram nesta quinta-feira com a direção da empresa de ônibus Piracicabana para debater problemas do transporte coletivo. A frota hoje está em 205 ônibus sendo 187 estão rodando nas ruas. Até início de março serão 240 ônibus. Foto: Imprensa CMB

Foto: Imprensa CMB

Foto: Imprensa CMB

 

Na manhã desta quinta-feira (18), nove vereadores se reuniram com o diretor da empresa Piracicabana, que opera emergencialmente o transporte coletivo na cidade, Maurício Garroti, para cobrar esclarecimentos sobre a qualidade do serviço de transporte coletivo urbano que vem sendo prestado. A reunião ocorreu na sede da empresa, no bairro Vila Nova. Estiveram presentes o presidente Mário Hildebrandt (PSB), os vereadores Adriano Pereira (PT), Cezar Cim (PP), Fábio Fiedler (PSD), Jefferson Forest (PT), Jens Mantau (PSDB), Marcos da Rosa (DEM), Robinsom Soares (PSD) e Oldemar Becker (DEM).

Os vereadores fizeram questionamentos a respeito de diversos problemas que estão ocorrendo no transporte coletivo. Sobre ascondições da frota, Maurício esclareceu que os ônibus que vieram para Blumenau estavam fora de operação e por isso apresentaram problemas de manutenção, que já estão sendo normalizados. Apontou que atualmente a frota conta com 205 ônibus, dos quais cerca de 187 estão rodando.

Garantiu que até o início do mês de março outros 35 veículos chegarão para compor a frota total de 240 ônibus que irão operar até o final do contrato. Antecipou que os ônibus que estão para chegar, com idade média de 6,5 anos, já estavam em circulação em outros municípios e devem apresentar menos problemas de manutenção. “Do total de 240 veículos, esperamos operar diariamente com, ao menos, 220 ônibus”, complementou Maurício.

Ainda sobre a manutenção, o diretor explicou que devido às dificuldades que a empresa enfrentou na questão da contratação, as últimas equipes que foram formadas eram justamente de manutenção e limpeza dos veículos. Apontou que atualmente a empresa conta com três equipes terceirizadas para realizar a manutenção, que se unem aos funcionários da empresa que estão sendo contratados em uma grande força-tarefa. A expectativa é que o serviço seja normalizado em duas semanas.

Questionado sobre os veículos terem características diferentes daquelas requeridas pela legislação municipal, como tapete de alumínio e
espaço para os cobradores, o diretor Maurício Garroti disse que essas questões foram discutidas e aceitas pela prefeitura e pelo Sindetranscol antes da assinatura do contrato emergencial. “Estamos conversando periodicamente com o sindicato da categoria a respeito da posição do cobrador, mas nesse momento não temos planos ou prazo de alteração nos veículos”, afirmou, complementando que o assunto continuará sendo debatido.

Sobre a bilhetagem, Garroti apontou que essa foi uma das três grandes dificuldades enfrentadas pela empresa, juntamente com a questão das
contratações e da estruturação. O diretor disse que ainda existem ajustes a serem feitos e que faltam algumas funcionalidades no sistema de bilhetagem, mas que em até duas semanas os problemas serão resolvidos. “Os passes escolares estão mantidos e também a venda do vale comum, de papel”.

Os parlamentares repassaram ao diretor da Piracicabana as queixas a respeito da superlotação dos ônibus e da falta de confiabilidade nos horários estabelecidos. Ele garantiu que a empresa está trabalhando para dar confiabilidade aos horários, dobrando o número de fiscais nos terminais, e que assim que o número de ônibus rodando aumentar, o cenário será melhor. “Nos próximos dias já devemos ter alterações na tabela de horários operada hoje, e com a frota completa haverá o restabelecimento de algumas linhas que não estavam sendo atendidas”, respondeu. Informou ainda que além dos horários disponibilizados pelo Seterb, existem ônibus excedentes que estão sendo colocados nas ruas nos horários de pico, especialmente nas linhas troncais.

Garroti acrescentou que alguns processos serão implementados assim que a operação estiver estabilizada, como a diminuição da quantidade de
bancos, especialmente nos troncais, para levar mais passageiros em pé e melhorar o fluxo de entrada e saída dos ônibus. Lembrou que adaptações já
estão sendo feitas nas estações pré-embarque para dar mais conforto aos passageiros e permitir o acesso aos ônibus da empresa.

A respeito dos salários dos funcionários do transporte coletivo, Maurício garantiu que a Piracicabana está atendendo plenamente a Convenção Coletiva, mantendo os salários-base da categoria e alguns benefícios específicos de funcionários que acumulavam funções ou trabalhavam há muitos anos nas empresas do Consórcio Siga. Também afirmou que os funcionários do antigo consórcio têm preferência de contratação e que a quantidade total necessária de motoristas e cobradores já estará contratada quando os outros 35 ônibus chegarem.

Para o presidente Mário Hildebrandt, a empresa ainda enfrentará alguns desafios de adaptação. “A Piracicabana não conta com ônibus articulados e
isso vai gerar um tumulto nas linhas troncais, mas estamos acompanhando e há uma promessa de solução em breve. Esperamos que eles venham, de fato, atender à necessidade dos usuários. O que a Câmara de Vereadores deseja é que a solução seja dada e a qualidade retorne à população que mais precisa”.

O vereador Jefferson Forest, que sugeriu a reunião, avaliou como positivo que os vereadores tenham ido até a empresa cobrar esclarecimentos. “Questionamos se o valor da tarifa, calculada em cima dos custos do antigo consórcio, poderia baixar, uma vez que a Piracicabana recebeu diversos incentivos. O diretor respondeu que isso não foi avaliado e que o valor da tarifa já foi fechado. O que esperamos que a empresa resolva a prestação de serviços para nossa população”.

O líder do governo, vereador Robinsom Soares, ressaltou que foi uma oportunidade de os vereadores conhecerem o que está sendo feito e responder às pessoas que utilizam o transporte coletivo. “Todas as dificuldades que a população tem vivenciado e relatado aos vereadores tivemos a possibilidade de apresentar para a empresa e sugerir melhorias, a fim de adequar o sistema àquilo que nossa cidade merece”.

Para o vereador Adriano Pereira, parte dos questionamentos ainda não foram respondidos de forma satisfatória. “Estamos preocupados com o reestabelecimento de todas as linhas e horários existentes antes da vinda da empresa pra Blumenau. Algumas linhas não estão circulando e os cobradores não tem espaço adequado para exercer suas funções. Vamos continuar mantendo o contato e cobrando conforme vão chegando as demandas da comunidade”.

O vereador Fábio Fiedler apontou que os parlamentares precisam continuar acompanhando a situação até a normalização do sistema. “Muitas respostas precisam ser equacionadas ao longo do período, então a cobrança do dia a dia não se dará e uma reunião, mas cada vereador deve acompanhar individualmente para que possam responder nas suas comunidades. É um grande passo, mas temos que dar outros até que a normalidade seja restabelecida”.

O vereador Marcos da Rosa ressaltou que a empresa está em um processo de implementação e que outros ônibus estarão chegando para operar na cidade, o que já deve melhorar a qualidade do serviço prestado. “A partir da licitação, quando exigiremos ônibus novos, a população passará a ser
atendida como merece”.

O vereador Oldemar Becker ressaltou que a empresa veio socorrer a cidade. “Os ônibus que a empresa possuía estavam para ser vendidos, e por isso necessitavam de manutenção. Sabemos que está sendo difícil, mas acreditamos que em breve a empresa vai colocar a frota em ordem para atender a população”.

O vereador Cezar Cim também opinou que a expectativa é de melhora. “A Piracicabana garantiu que irá participar da licitação, então a empresa tem
interesse em prestar o melhor serviço possível, ou não iremos permitir que ela assuma o contrato”.

Já o vereador Jens Mantau destacou o esforço por parte da empresa para corrigir problemas que estão ocorrendo. “Vejo o empenho da empresa para garantir que esse novo modelo esteja funcionando. Ainda está longe do que tínhamos anteriormente para atender o usuário e por isso solicitei que num curto espaço de tempo eles possam garantir o cumprimento de horários e reestabelecimento de algumas linhas que não estão operando”.

Ao final, os vereadores sugeriram que a diretoria da empresa fique em contato com o líder do governo, vereador Robinsom Soares, que irá repassar aos vereadores informações atualizadas sobre a operação do transporte coletivo na cidade.

Fonte: Assessoria de Imprensa CMB

Foto: Imprensa CMB