Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Trajes típicos valorizam tradição germânica na Oktoberfest. Mesmo em dia de entrada gratuita, visitantes fazem questão de virem trajados para a festa.

Entre os símbolos que marcam as tradições da Oktoberfest Blumenau estão os trajes típicos germânicos. Desde a primeira edição da festa no ano de 1984 até hoje em dia, a vestimenta característica faz sucesso entre o público e não apenas por assegurar a gratuidade aos pavilhões do Parque Vila Germânica, mas sim por uma questão […]

Publicado em 15/10/2019 às 04:14


Foto: Marcelo Martins.
Foto: Marcelo Martins .
Foto: Marcelo Martins.

Entre os símbolos que marcam as tradições da Oktoberfest Blumenau estão os trajes típicos germânicos. Desde a primeira edição da festa no ano de 1984 até hoje em dia, a vestimenta característica faz sucesso entre o público e não apenas por assegurar a gratuidade aos pavilhões do Parque Vila Germânica, mas sim por uma questão de estilo, charme e por mostrar sintonia com o clima da festa.

Exemplo disto, é que na noite desta segunda-feira, dia 14, várias das pessoas que vieram para a Oktobesfest, em um dia de entrada gratuita, ainda assim, mantiveram a risca o gosto pelo traje típico. “Gosto de vir sempre trajado até por uma questão de harmonia e também para me sentir parte da festa”, comenta o blumenauense Evandro Zuqui.

Regras do traje típico

A 36ª edição da Oktoberfest possibilita aos visitantes trajados a gratuidade aos domingos, terças e quartas-feiras, enquanto de quinta a sábado, fica permitida a meia-entrada. Entretanto há características que precisam ser preservadas na vestimenta do Fritz e da Frida, para garantir o benefício.

No caso da Frida, a blusa pode ser de manga longa ou curta, sem mostrar a barriga e em caso de uso de colete, ele deve ser germânico combinando com o vestido. O vestido ou saia precisam ser longos ou até a quatro dedos da  altura do joelho. O sapato fica a critério da pessoa por um que seja mais confortável, podendo ser sapatilha e botina, desde que dedos e calcanhar não estejam à mostra. Calçados estampados ou de cano longo também não serão permitidos. As meias são opcionais ou pode ser substituída por polainas. Outros acessórios ainda podem ser incrementados ao traje típico como tiara, chapéu, bolsa, lenço e avental.

Para o Fritz, a camisa pode ser manga longa ou curta, sendo de cor única ou xadrez, ser de tecido e ter colarinho. A calça ou bermuda (lederhose) deve ser confeccionada em couro ou em outros tecidos, podendo ser longa ou até a altura dos joelhos, limite de um palmo acima do joelho. As meias precisam ir até próximo do joelho e podem ser substituídas por polainas que combinem com o traje. Sapato pode ser social, bota, botina ou sapatênis, sempre em tons de caramelo, marrom ou preto. Colete é opcional e precisa harmonizar com o traje, assim como o chapéu, que deve ser tipicamente germânico.

Desfile inédito

Para inovar a realização dos desfiles a organização da Oktoberfest de modo inédito promoverá as apresentações nesta terça-feira, dia 15. O desfile se repete também na quinta-feira, dia 17. “A ideia de ampliar o número de desfiles e dividir ele para dois dias durante a semana acaba que, aumentando a possibilidade dos turistas e também dos blumenauenses de prestigiar o evento, fora daqueles dias habituais como é o caso do sábado e da quarta-feira”, avalia o secretário Municipal de Turismo, Marcelo Greuel.

O desfile desta terça-feira está marcado para 19h30, quando cerca de 100 atrações culturais, folclóricas e germânicas se apresentam ao longo da Rua XV de Novembro.

A 36ª Oktoberfest Blumenau acontece de 9 a 27 de outubro, e é uma realização da Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Turismo e Lazer (Sectur) e Parque Vila Germânica. A festa tem como cervejaria oficial a Eisenbahn e conta com o patrocínio de Bradesco, Cielo, Elo, Nacional Gás, Unifique, Booking.com, Angeloni, Heinz, Koerich, Stuttgart Porsche, Buser e Intelbras. A Oktoberfest Blumenau tem ainda o apoio de Ipel, O Boticário, Shell, Claro e Lufthansa.

Fonte: Prefeitura de Blumenau.
Foto: Marcelo Martins.