Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

SINDILOJAS Blumenau convoca entidades do Vale para discutir a duplicação da BR-470

Movimento #DuplicaçãoJá busca coordenar a atuação das lideranças na cobrança pela agilidade nas obras. O SINDILOJAS Blumenau está convocando entidades do Vale do Itajaí para uma reunião on-line para coordenar a cobrança pela agilidade nas obras de duplicação da BR-470. Após a sinalização de aporte de R$ 350 milhões do Governo do Estado em obras […]

Publicado em 25/06/2021 às 09:52


Movimento #DuplicaçãoJá busca coordenar a atuação das lideranças na cobrança pela agilidade nas obras.

O SINDILOJAS Blumenau está convocando entidades do Vale do Itajaí para uma reunião on-line para coordenar a cobrança pela agilidade nas obras de duplicação da BR-470. Após a sinalização de aporte de R$ 350 milhões do Governo do Estado em obras federais, o grupo buscará acompanhar de perto e influenciar na tomada de decisão pública. O encontro acontecerá na próxima terça-feira, dia 29, às 10h. Interessados em participar precisam preencher formulário neste link > https://forms.gle/d2KNBTorYoUvfcv29

Emílio Rossmark Schramm, presidente do SINDILOJAS Blumenau, vice-presidente da Fecomércio/SC e presidente do Comitê pela Duplicação da BR-470, coordenará a atuação do grupo. “As entidades têm o papel de representar toda a população na luta pela agilidade das obras. E eu acredito que o trabalho integrado falará mais alto quando formos cobrar as autoridades. Precisamos discutir como queremos que esses R$ 350 milhões sejam investidos, e qual “fatia” será destinada para a BR-470”, afirma.

Protagonismo
Recentemente, entidades do Vale do Itajaí se movimentaram com eficiência para garantir a derrubada do veto ao projeto de lei que permitiu o aporte de R$ 350 milhões do Governo do Estado para obras federais. Após o sucesso, Schramm acredita que estes líderes não podem relaxar.

“Estamos falando da principal obra de infraestrutura do Estado, que reduzirá o número de mortes no trânsito e potencializará a economia. Precisamos, mais do que nunca, garantir que estes recursos venham, e logo”, reforça.