Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Servidores de Blumenau entram em greve em defesa dos direitos.

Confirmando a deliberação da última assembleia da categoria, cerca de 700 servidores municipais de Blumenau entraram em greve nesta terça-feira (04). O primeiro dia de paralisação mobilizou trabalhadores de 108 locais de trabalho. A estratégia adotada pelos servidores está garantindo o atendimento dos serviços essenciais, conforme o que determina a Lei de Greve, e minimizando […]

Publicado em 05/06/2019 às 02:07


Foto: Sintraseb.

Confirmando a deliberação da última assembleia da categoria, cerca de 700 servidores municipais de Blumenau entraram em greve nesta terça-feira (04). O primeiro dia de paralisação mobilizou trabalhadores de 108 locais de trabalho.

A estratégia adotada pelos servidores está garantindo o atendimento dos serviços essenciais, conforme o que determina a Lei de Greve, e minimizando os impactos à população.

A GREVE CONTINUA NESTA QUARTA-FEIRA (05), mas não haverá concentração da praça da prefeitura.

Os servidores programaram ações e atos decentralizados. Durante todo o dia grupos de mobilização percorrerão os locais de trabalho em busca de novas adesões e a tarde, a partir das 14 horas, os servidores farão concentração na Praça da Gaitas Hering, (Rua Bahia, esquina com a Rua São Paulo).

ENTRE CORTES DE DIREITOS E PERDAS SALARIAIS

Pelo segundo ano, o governo do prefeito Mário Hildebrandt sonega o pagamento da reposição da inflação aos salários dos servidores na data-base da categoria (maio), como se já não bastasse sonegar direitos como a Avaliação por Desempenho de 2001 e 2004, a Hora Atividade integral para o magistério, ter reduzido a remuneração dos trabalhadores do Programa de Estratégia de Saúde da Família e cortado o FGTS dos trabalhadores ACTs, que acarretaram duras perdas financeiras os trabalhadores.

Somente com os parcelamentos de 2016, 2018 e o proposto agora em 2019, a perda para cada servidor equivale a mais de um salário mensal (108%).

O reajuste salarial anual com base no INPC é um direito previsto na Constituição Federal, na Lei Complementar 498/2004, e provisionado no Plano Plurianual (PPA) e na Lei Orçamentária Anual do município.

Foto: Sintraseb.