Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Secretaria da Administração e Fecam promovem diagnóstico em municípios sobre Modelo de Excelência em Gestão para Transferências da União.

A Secretaria de Estado da Administração (SEA) e a Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) atuam, por meio de treinamentos, para que cidades catarinenses façam a adesão ao Modelo de Excelência em Gestão para Transferências da União – MEG-Tr. Agora, com o isolamento social e a necessidade de realização do trabalho de forma remota, uma nova […]

Publicado em 27/05/2020 às 07:00


A Secretaria de Estado da Administração (SEA) e a Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) atuam, por meio de treinamentos, para que cidades catarinenses façam a adesão ao Modelo de Excelência em Gestão para Transferências da União – MEG-Tr. Agora, com o isolamento social e a necessidade de realização do trabalho de forma remota, uma nova frente de trabalho pretende promover um diagnóstico amplo sobre a situação do MEG-Tr nos municípios catarinenses.

Implantado pelo Ministério da Economia, o programa preza pela melhoria da gestão e governança dos órgãos que operam recursos de transferências da União. Aprimorando, dessa forma, a efetividade na entrega de valor público à sociedade. O Modelo foi implementado em junho do ano passado em todo país.

“Com base em evidências, poderemos conhecer as diferentes etapas de implantação do Modelo no estado e planejar ações de apoio efetivo às cidades, com a consequente melhoria da gestão municipal e dos recursos oriundos de transferências voluntárias”, explica a diretora da secretaria da Administração, Junia Soares.

O diagnóstico será realizado por meio de um questionário, a ser aplicado aos dirigentes municipais a partir da próxima semana. O presidente da Fecam, Saulo Sperotto, acredita que a parceria pode ajudar os municípios a buscar recursos. “Em muitas regiões do estado percebemos que os impactos da crise econômica causada pelo isolamento social e redução das atividades econômicas em função do coronavírus são intensos. Nesses casos, gerir os recursos de maneira alinhada com as diretrizes do Ministério da Economia pode contribuir para o aumento na captação de recursos via transferências da União e a superação das perdas econômicas das cidades”.

Foto: Divulgação / SEA