Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Renal Vida reforça que todos fiquem em suas casas para a maior segurança de quem não pode ficar. Pacientes que realizam hemodiálise fazem parte do grupo de risco e precisam do tratamento três vezes por semana para se manterem vivos.

Em tempos de pandemia do COVID-19 queremos enfatizar a importância dos trabalhos essenciais. O aviso é claro, para que todos fiquem em suas casas para maior segurança, mas, nem todos podem ficar. Você já parou para pensar nos pacientes que realizam hemodiálise e nos profissionais que precisam estar sempre prontos para atendê-los? Cada paciente com […]

Publicado em 24/03/2020 às 05:47


Foto: Divulgação.

Em tempos de pandemia do COVID-19 queremos enfatizar a importância dos trabalhos essenciais. O aviso é claro, para que todos fiquem em suas casas para maior segurança, mas, nem todos podem ficar. Você já parou para pensar nos pacientes que realizam hemodiálise e nos profissionais que precisam estar sempre prontos para atendê-los?

Cada paciente com insuficiência renal precisa realizar o tratamento de hemodiálise três vezes por semana para se manter vivo. Isso mesmo, vivo! Os rins afetados não conseguem filtrar o sangue e, consequentemente, não elimina as toxinas presentes no sangue, podendo levar o paciente a óbito. E lembrando que, sob os cuidados da Associação Renal Vida, são cerca de 900 vidas. São pais, mães, filhos e irmãos que precisam sair de casa e retornar a salvo.

Diversos profissionais da saúde, sendo médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogas, farmacêuticas, também precisam estar presentes para que tudo aconteça. Com o vírus, os pacientes e profissionais ficam “expostos” ao realizarem o caminho até a clínica, por isso a importância da conscientização das outras pessoas para que fiquem em casa. Não só para proteger a si, mas para proteger a todos os outros que precisam sair de casa.

A exemplo dos profissionais e pacientes que fazem tratamento na unidade de Blumenau. A importância da construção da nova sede que será exclusiva ao paciente renal. Além da falta de espaço para poder minimizar o risco de transmissão no caso de algum paciente estar infectado, oferecendo mais conforto e segurança a todos, atualmente a sede também fica localizada em um edifício clínico onde muitas pessoas tem acesso. O trajeto de casa até a sala de hemodiálise é grande, passando por diversos lugares onde pode ser contaminado, sendo que dois principais grupos de risco do Coronavírus são os diabéticos e hipertensos, doenças essas associadas a 90% dos pacientes renais crônicos.

A hemodiálise é um trabalho essencial e não tem opção de parar. O cenário econômico que viveremos não será dos melhores, mas um olhar mais carinhoso aos serviços essenciais é necessário. São vidas cuidando de vidas, e essa é nossa missão: promover a saúde e cuidar das pessoas.

Foto: Divulgação.