Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Perícia conclui que dívida da Prefeitura de Blumenau junto à União é equivocada. Chegou-se à conclusão de que a dívida já foi quitada.

A Prefeitura de Blumenau contratou uma perícia contábil para analisar uma dívida junto à União que o município havia assumido de 1992, 1996, 1998, convalidada em 1999, para a construção da ETA III, aquisição de hidrômetros e expansão de rede de água, feitos na época. Após a revisão dos valores, que apontavam dívida de aproximadamente R$ 250 milhões, chegou-se à conclusão de que a mesma já foi quitada, e que Blumenau não possui débitos, pelo contrário, tem crédito de R$ 14 milhões. Em setembro, o Banco do Brasil, cumprindo orientação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), bloqueou R$ 1,9 milhão das contas públicas municipais. A Procuradoria Geral do Município conseguiu um efeito suspensivo para recuperar os valores bloqueados e evitar novos bloqueios. Após o ocorrido a Prefeitura contratou a perícia. O prefeito Mário Hildebrandt afirma que visitará a Secretaria do Tesouro Nacional, mesmo que já esteja discutindo em âmbito judicial, para solicitar o reembolso e final da cobrança, que entende ser indevida e que pode causar prejuízos irreparáveis aos cofres públicos. Foto #BlogdoJaime.

Publicado em 26/10/2018 às 10:30


Perícia conclui que dívida da Prefeitura de Blumenau junto à União é equivocada. Chegou-se à conclusão de que a dívida já foi quitada.

Foto #BlogdoJaime.

A Prefeitura de Blumenau contratou uma perícia contábil para analisar uma dívida junto à União que o município havia assumido de 1992, 1996, 1998, convalidada em 1999, para a construção da ETA III, aquisição de hidrômetros e expansão de rede de água, feitos na época. Após a revisão dos valores, que apontavam dívida de aproximadamente R$ 250 milhões, chegou-se à conclusão de que a mesma já foi quitada, e que Blumenau não possui débitos, pelo contrário, tem crédito de R$ 14 milhões.

Em setembro, o Banco do Brasil, cumprindo orientação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), bloqueou R$ 1,9 milhão das contas públicas municipais. A Procuradoria Geral do Município conseguiu um efeito suspensivo para recuperar os valores bloqueados e evitar novos bloqueios. Após o ocorrido a Prefeitura contratou a perícia.

O prefeito Mário Hildebrandt afirma que visitará a Secretaria do Tesouro Nacional, mesmo que já esteja discutindo em âmbito judicial, para solicitar o reembolso e final da cobrança, que entende ser indevida e que pode causar prejuízos irreparáveis aos cofres públicos.