Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

OPERAÇÃO “FAKE NUDES”

Na data de hoje, 23 de outubro de 2020, a Polícia Civil de Santa Catarina, através da Delegacia de Polícia Civil da Comarca de Ascurra, com o apoio operacional do Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil do estado do Rio do Grande do Sul – DEIC, deflagrou a operação “FAKE NUDES” para cumprir […]

Publicado em 23/10/2020 às 05:00


Na data de hoje, 23 de outubro de 2020, a Polícia Civil de Santa Catarina, através da Delegacia de Polícia Civil da Comarca de Ascurra, com o apoio operacional do Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil do estado do Rio do Grande do Sul – DEIC, deflagrou a operação “FAKE NUDES” para cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva contra autores dos crimes de extorsão e associação criminosa.

As buscas e prisões foram realizadas nas cidades de Porto Alegre e Viamão, no estado do Rio Grande do Sul. Restaram cumpridos 10 (dez) mandados judiciais, sendo 04 (quatro) de prisões preventivas e 06 (seis) de busca e apreensão domiciliar. Na cidade de Porto Alegre foram presas as pessoas de M.P.F, H.P.S.S e F.S.M e na cidade de Viamão restou preso preventivamente o investigado D.S.R.

Ainda, na posse de H.P.S.S foi apreendido um veículo marca FIAT, modelo UNO, adquirido com o dinheiro obtido através das extorsões praticadas pelo grupo criminoso e que, após deliberação do poder judiciário, poderá ser leiloado com o objetivo de ressarcir os prejuízos de eventuais vítimas, principalmente a vítima vinculada a presente investigação.

O enredo criminoso:

“O golpe todo era perpetrado através das redes sociais, sendo que inicialmente um perfil de uma menina adicionava no facebook a eventual vítima e começava a conversar até chegar em um assunto de conotação sexual, e após isso solicitava o whatsapp da mesma para enviar fotos nuas, desse modo a vítima acreditando que estava conversando com uma mulher acabava retribuindo as fotos nuas e assim se iniciava a extorsão.

Em seguida um homem fazia contato com a vítima dizendo que era pai da menina e que ela “era menor de idade”, bem como que havia encontrado fotos intimas masculinas no celular dela, com base nisso o suposto pai passava a chantagear e exigir dinheiro das vítimas para que não o denunciasse na delegacia. A título de exemplo uma vítima da cidade de Apiúna acabou depositando o valor de R$ 8.000,00 (oito mil reais), com medo de “ser presa”.

Na terceira etapa do golpe um homem se passando por “delegado” fazia contato com a vítima – utilizando nomes e fotografias de policiais do estado do Rio Grande do Sul – exigindo valores em dinheiro para que o “inquérito” não fosse adiante, em um dos casos, inclusive o autor enviou um falso mandado de prisão para a vítima, com o objetivo de dar veracidade a situação criada e extorquir mais dinheiro”.

Ao longo das investigações que duraram 02 (dois) meses foram identificadas diversas vítimas no estado de Santa Catarina e também em outros estados do Brasil, sendo que o grupo criminoso agia sempre do mesmo modus operandi, utilizando dos mesmos personagens e de diversas contas bancárias para que o dinheiro não fosse bloqueado em tempo hábil durante as investigações.

Os conduzidos M.P.F, H.P.S.S, F.S.M e D.S.R foram encaminhados para a sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais do estado do Rio Grande do Sul, onde aguardarão a abertura de vagas no sistema penitenciário, ficando assim à disposição do Poder Judiciário da Comarca de Ascurra – responsável pela expedição das ordens judiciais.

Importante salientar que a integração entre a Polícia Civil de Santa Catarina e a Polícia Civil do Rio Grande do Sul foi fundamental para o sucesso da investigação e também para garantir o êxito da operação “FAKE NUDES” deflagrada no dia de hoje nas cidades de Porto Alegre e Viamão.

Foto Polícia Civil de SC