Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Momento histórico: Tribunal Pleno fará amanhã sua primeira sessão por videoconferência.

Nesta quinta-feira (16/4), pela primeira vez na história, o Tribunal Pleno do TJSC irá se reunir por videoconferência. Na semana passada, o Órgão Especial fez a sessão desta mesma forma, utilizando a PJSC-Conecta, plataforma desenvolvida em 2016 e ampliada no ano passado com a adoção no sistema eproc. Segundo a Divisão de Redes de Comunicação, […]

Publicado em 15/04/2020 às 05:45


Nesta quinta-feira (16/4), pela primeira vez na história, o Tribunal Pleno do TJSC irá se reunir por videoconferência. Na semana passada, o Órgão Especial fez a sessão desta mesma forma, utilizando a PJSC-Conecta, plataforma desenvolvida em 2016 e ampliada no ano passado com a adoção no sistema eproc. Segundo a Divisão de Redes de Comunicação, de janeiro deste ano até segunda-feira passada foram realizadas pelo Poder Judiciário catarinense 10.770 transmissões por videoconferência, incluindo audiências e reuniões administrativas.

Em menos de um mês – de meados de março até semana passada, com magistrados e servidores trabalhando em home office -, entre sentenças, decisões e despachos, a produção chegou a 382.655, uma das mais elevadas do Brasil de acordo com dados do CNJ. Desde então, os órgãos julgadores realizam, em caráter excepcional, sessões de julgamento totalmente virtuais. 

Segundo o 1º vice-presidente do TJ, desembargador João Henrique Blasi, que participou da sessão inédita do Órgão Especial e irá participar da sessão do Tribunal Pleno, “trata-se de providência histórica, porque inusitada, bem retratando a rápida adaptabilidade do nosso Tribunal ao momento singular que estamos vivenciando por conta do alastramento da Covid-19.”

Para que a adoção do home office tivesse êxito, a Diretoria de Tecnologia da Informação disponibilizou a todos os magistrados e servidores uma sala pessoal, com acesso feito mediante login e senha. A tecnologia empregada é 100% web, com uma interface de utilização muito simples, na qual não é necessário instalar aplicativo ou plugin no computador. É preciso, apenas, um equipamento com multimídia, ou seja, um dispositivo com câmera, microfone e caixas de som – notebooks, celulares e tablets já têm esse “kit”.

Além da total adaptação ao trabalho em casa e do aumento de produtividade neste período, o Judiciário catarinense dá atenção especial às atividades que refletem diretamente no campo econômico, como a expedição de alvarás. Só no mês de março, por exemplo, isso implicou uma injeção de R$ 261 milhões na economia do Estado. Desde o início da crise, o Judiciário de Santa Catarina já contribuiu com R$ 13,2 milhões para a Secretaria da Saúde e para diversos municípios, o segundo maior montante entre os tribunais estaduais. Todo esse dinheiro está sendo usado, de maneira integral, na contenção da pandemia.  “Os momentos de crise”, afirma o presidente do Poder Judiciário de Santa Catarina, desembargador Ricardo Roesler, “dão a possibilidade para que cada um, na sua tarefa, no seu trabalho e a seu modo, mostre seu valor e faça a diferença”.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI