Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Hospital Infantil recebe novos equipamentos com tecnologia de ponta para cirurgias e exames.

O Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, recebeu novos equipamentos para cirurgias e exames com tecnologia de ponta para o atendimento dos pacientes. Entre as aquisições está uma mesa cirúrgica única na América Latina para tratamento da escoliose infantil, um novo sistema de vídeo cirurgia portátil e um aparelho de ultrassom. A nova mesa […]

Publicado em 20/05/2020 às 07:30


O Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, recebeu novos equipamentos para cirurgias e exames com tecnologia de ponta para o atendimento dos pacientes. Entre as aquisições está uma mesa cirúrgica única na América Latina para tratamento da escoliose infantil, um novo sistema de vídeo cirurgia portátil e um aparelho de ultrassom.

A nova mesa de escoliose (Mesa Allen) foi usada pela primeira vez nesta segunda-feira, 18, pela equipe de cirurgia da coluna composta pelos cirurgiões André Luis Fernandes Andujar, Henrique Dagostin de Arjona e anestesista Valeria Blanco. Entre as vantagens em relação ao equipamento tradicional, destaca-se o posicionamento do paciente, o que significa maior proteção e menos riscos de lesões na pele da criança devido às pressão durante procedimentos cirúrgicos. O posicionamento possui controles de movimento com maior precisão e suavidade, trazendo segurança ao paciente e facilidade para a equipe cirúrgica.



O apoio para cabeça é mais confortável e possibilita a avaliação constante da face e via aérea pelo espelho acoplado a este componente, bem como possibilita a mobilização da cabeça e mudança dos pontos de apoio de forma muito simples e segura. Os apoios das articulações dos membros superiores são ergonométricos e estáveis, protegendo os acessos venosos realizados no paciente.

A escoliose é uma enfermidade que, dependendo sua gravidade, provoca um incômodo forte e se não tratada pode comprometer as funções cardiopulmonares. Em casos muito especiais, pode atingir o sistema nervoso e causar paralisia nos membros inferiores. A unidade catarinense ainda conta com uma impressora 3D onde serão feitos os moldes de coluna para o planejamento da cirurgia.

“Essa mesa é única na América Latina, não havendo nenhuma similar no mercado brasileiro. Tal equipamento satisfaz as necessidades técnicas que surgem durante o ato cirúrgico de alta complexidade realizado pela equipe, minimizando os riscos e melhorando a segurança do paciente, reduzindo os custos e melhorando a qualidade final do procedimento realizado”, explica o diretor do HIJG, Flamarion Lucas.

Procedimentos sem uso de centro cirúrgico

O otorrinolaringologista André Maranhão explica que o novo equipamento de vídeo cirurgia portátil Tele Pack X Led proporcionará a realização de exames delicados, como a videoendoscopia nasal, sem a necessidade de centro cirúrgico. “Esses procedimentos poderão ser realizados no leito do paciente ou no ambulatório, sem ser preciso deslocamento. Isso representa menor exposição a riscos de infecção hospitalar, com procedimentos menos invasivos e com maior assertividade”, disse. “Além disso, os exames são gravados e podem ser utilizados para estudos e debates, otimizando os laudos”

“É um benefício, uma conquista histórica para crianças que apresentam dificuldades para respirar e que agora poderão ser tratadas aqui sem a necessidade de deslocamento a outros estados”, comemora a médica otorrinolaringologista do HIJG, Ana Amélia. “O aparelho permite que pacientes graves possam ser atendidos no leito e que lesões mínimas na laringe possam ser identificadas”.

O serviço de otorrinolaringologia do Joana de Gusmão é responsável pelo tratamento de inúmeras patologias nasais, orais, supraglóticas, de laringe e em alguns casos, em que é possível o acesso endoscópico até mesmo patologias subglóticas. Essas são patologias potencialmente graves e até mesmo fatais. Em alguns casos, o tratamento cirúrgico imediato, se faz necessário pelo risco de obstrução respiratória e óbito

O tratamento cirúrgico de muitas patologias é feito através da microcirurgia de laringe que é indicada para remoção de pólipos, nódulos, cistos, hemangiomas, papilomas, tumores malignos precoces, biópsias e outras lesões de pregas vocais ou da laringe como um todo. O acesso cirúrgico exige o uso de um laringoscópio de suspensão, que se apóia nos dentes (geralmente incisivos centrais) e sobre o tórax, e adaptação de microscópio.

Ultrassom

O médico Alexandre Buffon ainda destaca que o ultrassom portátil adquirido pelo HIJG pode ser utilizado em procedimentos cirúrgicos mais simples. “É um equipamento de grande relevância para a nossa prática médica diária, pois facilita procedimentos de anestesia como bloqueio de plexos nervosos, acessos venosos e arteriais, ultrassonografia pulmonar e cardíaca que pode ser utilizada para monitorização”, destaca.

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde – SES

Fotos: Fabricio Escandiuzzi / SES