Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Homem que atirou em vizinho após reclamação por som alto recebe pena de 10 anos em Rio do Sul

Um homem foi condenado por tentativa de homicídio duplamente qualificado e porte ilegal de arma de fogo em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Rio do Sul, no Alto Vale. Ele recebeu pena de 10 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão pela tentativa de assassinato e mais dois anos e 10 […]

Publicado em 10/08/2021 às 03:34


Divulgação/Comarca de Rio do Sul

Um homem foi condenado por tentativa de homicídio duplamente qualificado e porte ilegal de arma de fogo em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Rio do Sul, no Alto Vale. Ele recebeu pena de 10 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão pela tentativa de assassinato e mais dois anos e 10 dias multa pelo crime de porte ilegal de arma de fogo.

Segundo denúncia do Ministério Público, o réu e dois vizinhos se desentenderam por conta do som alto que provinha de sua residência. Irritado com as reclamações, o acusado chamou ambos para um encontro, com a alegação de buscar solução para o conflito. Neste momento, contudo, sacou de um revólver e efetuou cinco disparos, que atingiram um de seus oponentes, que caiu ao chão. Incontinenti, deixou o local em seu carro e ainda tentou – sem sucesso – atropelar a vítima. O pronto atendimento médico salvou a vida do vizinho.

A sessão desta quinta-feira (5/8) também entrou para a história da comarca, pois foi a primeira a ocorrer no novo prédio do fórum. Além disso, foi a primeira realizada neste ano, a primeira ocorrida após o início da pandemia e, finalmente, a primeira a transcorrer em formato híbrido. Estiveram presentes apenas os sete jurados que compuseram o Conselho de Sentença, acompanhados por dois oficiais de justiça, uma TJA e um TSI.

O réu, que se encontrava preso preventivamente, assistiu ao julgamento por videoconferência a partir do Presídio Regional de Rio do Sul; também por videoconferência atuaram o juiz presidente, o promotor de Justiça e as defensoras, com apoio da chefe de cartório da Vara Criminal e outra TJA. As testemunhas também d​epuseram de maneira remota. Os trabalhos, sob o comando do juiz Claudio Marcio Areco Júnior, tiveram início às 10h30min e se estenderam até as 21 horas, quando saiu o veredicto (Autos n. 5010843-30.2020.8.24.0054).