Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Coronavírus: medo afasta pessoas do tratamento de outras doenças e representa risco à saúde

A pandemia do novo Coronavírus trouxe mudanças no cotidiano e provocou muitas incertezas na população. Um dos efeitos colaterais da doença, que também está causando preocupação nos médicos, é de que pacientes com outras doenças estejam se afastando do tratamento necessário por conta do medo de ir aos consultórios, clínicas ou hospitais, e contrair a […]

Publicado em 20/04/2020 às 10:03


Divulgação

A pandemia do novo Coronavírus trouxe mudanças no cotidiano e provocou muitas incertezas na população. Um dos efeitos colaterais da doença, que também está causando preocupação nos médicos, é de que pacientes com outras doenças estejam se afastando do tratamento necessário por conta do medo de ir aos consultórios, clínicas ou hospitais, e contrair a Covid-19.
 
O médico pneumologista e diretor técnico do Hospital Dia do Pulmão, centro de referência na área respiratória, em Blumenau, Santa Catarina, Dr. Mauro Sérgio Kreibich, revela que muitos pacientes que sofrem de doenças que necessitam de atendimento contínuo estão evitando a ida a hospitais com medo de contrair a Covid-19. “Percebemos que pacientes com doenças crônicas estão faltando, desmarcando ou remarcando suas consultas em um prazo muito longo. Alguns deixam de procurar o atendimento, mesmo com sintomas que indicam a necessidade de consultar um especialista, o que pode causar o agravamento de doenças”, diz.
 
Dr. Kreibich reforça, ainda, que remédios para tratamentos específicos precisam ser mantidos pelos pacientes. “Os medicamentos são fundamentais para a saúde dos indivíduos. Alguns remédios evitam sintomas que são muito parecidos com os do Coronavírus. Portanto, se o paciente deixa de utilizar a medicação, ele pode confundir com o Coronavírus, por isso a necessidade de se manter com a medicação. Além disso, as vacinas devem ser atualizadas, especialmente a da gripe, as duas da pneumonia e a da coqueluche”, explica.
 
As doenças respiratórias têm relação direta com as mudanças climáticas e por conseguinte com as estações como o outono, inverno e primavera, necessitando estar devidamente controladas para evitar as descompensações, popularmente denominadas de “crises”.
 
Em indivíduos saudáveis, a tosse e eventualmente a febre, são consideradas como “sintomas leves” nos pacientes portadores de Asma, Bronquite, Enfisema, Bronquiectasias, Alergias Respiratórias e afins podem significar o início das crises e necessitam de orientação e/ou avaliação do médico assistente
 
O médico pneumologista ressalta que todas as unidades de saúde do país estão tomando os devidos cuidados com a higienização e desinfecção dos ambientes. “O Hospital Dia do Pulmão, por exemplo, realizou alterações internas para a maior segurança de seus pacientes, como a mudança do Pronto Atendimento Pediátrico, que passa a ser realizado junto à pediatria, no andar superior, separado do Pronto Atendimento Adulto”, aponta.
 
Além das mudanças na estrutura física, também foram implementados protocolos de prevenção contra o Coronavírus. “Os pacientes com suspeita de Covid-19 recebem atendimento isolados dos demais e os colaboradores fazem a assistência com todos os equipamentos de proteção individual. O Hospital Dia do Pulmão reitera o compromisso de diferenciação técnica e de atendimento que nos caracteriza ao longo de cerca de 38 anos de atividades e, para isto, ajustou a estrutura para atender seletivamente os pacientes habituais do hospital, visando manter a segurança de todos, corpo técnico, funcional, pacientes e comunidade”. conclui Dr. Kreibich.
 
Sobre o Hospital
 
Hospital Dia do Pulmão atua em Blumenau desde 1982, com prestação de serviços voltados ao diagnóstico e tratamento de doenças respiratórias. Destacam-se nesta trajetória pioneira, a introdução da fisioterapia respiratória e pneumologia pediátrica.
 
Além de atendimento nas áreas de pneumologia, alergologia, otorrinolaringologia e cirurgia torácica, o Hospital do Pulmão conta com serviços de Pronto Atendimento, consultórios, exames e tratamentos que permitem o atendimento, diagnóstico e tratamento sequencial nas dependências do
HDP.
 
Há cerca de 4 anos, o Hospital Dia do Pulmão implantou a abordagem médica “point of care”, disponibilizando exames complementares de execução e resultados rápidos (ditos testes rápidos). 
 
Nesta modalidade incluem-se testes virais como o da Influenza e da Dengue, testes bacterianos e testes bioquímicos que auxiliam no diagnóstico das doenças do aparelho respiratório e cardio-respiratório)
 
Há cerca de 2 semanas o HDP iniciou a utilização dos testes rápidos para o diagnóstico complementar do Covid19.
 
Essa abordagem permite conduzir 99.39% dos pacientes na estrutura do Hospital Dia do Pulmão, o que permite a “des-hospitalização” do atendimento. Somente 0,61% dos pacientes atendidos pelo HDP são encaminhados para os hospitais convencionais.
 
Outro diferencial recente é a Área de Imunização, com salas de vacinação externas e isoladas, dentro de parâmetros sanitários e técnicos internacionais, passando pela monitorização do transporte, conservação (câmaras de vacina e central de refrigeração com sistema de backup que inclui gerador de energia) e manuseio por equipe certificada e treinada especificamente nesta área.