Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Comunidade poderá aprender a fazer repelente natural com plantas medicinais. Oficina voltada para usuários do ESF Gustavo Tribess ocorre nesta terça-feira, dia 10.

Nesta terça-feira, 10, a Secretaria Municipal de Promoção da Saúde (Semus) por meio das unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) Gustavo Tribess I e II, localizado no bairro Fortaleza, vai promover um encontro do grupo de hortas e chás para ensinar a comunidade a produzir repelentes naturais. A oficina, voltada aos moradores da área de […]

Publicado em 09/03/2020 às 05:16


Foto: Divulgação.

Nesta terça-feira, 10, a Secretaria Municipal de Promoção da Saúde (Semus) por meio das unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) Gustavo Tribess I e II, localizado no bairro Fortaleza, vai promover um encontro do grupo de hortas e chás para ensinar a comunidade a produzir repelentes naturais. A oficina, voltada aos moradores da área de atuação do ESF, será realizada às 14h, e não há necessidade de inscrição prévia.

A ação, que é uma parceria entre a equipe da unidade de saúde e o Programa de Educação pelo Trabalho na Saúde (PET Saúde), será ministrada pelo professor dos cursos de Farmácia e Nutrição da Furb, Alessandro Guedes. O grupo de hortas e chás integra as Práticas Integrativas Complementares (PICS), e promove encontros mensais, sempre com temas diferentes e abordando a utilização de plantas medicinais.

O ESF Gustavo Tribess I e II possui 20 plantas medicinais, dessas, cinco estão catalogadas no Ministério da Saúde (MS). Todas fazem parte da horta comunitária e são disponibilizadas à comunidade.

Os bolsistas do PET Saúde atuam em atividades de pesquisa e extensão junto à equipe de saúde e comunidade. O programa é financiado pelo Ministério da Educação (MEC) e MS.

Práticas Integrativas Complementares (PICS)
As (PICS) são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais e populares integrados à ciência moderna. Também podem ser usadas como tratamentos paliativos em algumas doenças crônicas.

Atualmente, 25 unidades de atenção básica e especializada de Blumenau possuem 35 projetos envolvendo nove práticas integrativas: auriculoterapia, reiki, hortas medicinais, homeopatia, acupuntura, meditação, tai chi chuan e chi kung.

Foto: Divulgação.