Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Campanha Salarial 2016 – 3ª Assembleia Geral. Nova assembleia será marcada. Por enquanto somente estado de greve. Todos trabalhando até a definição na próxima assembleia.

Os servidores públicos municipais se reuniram em nova assembleia geral na tarde desta terça-feira (29) para avaliar a proposta de reajuste de 3% apresentada pela administração na tarde de ontem (28), em mesa de negociação.

Publicado em 30/03/2016 às 10:17


 

Foto Sintraseb.

Foto Sintraseb.

Os servidores públicos municipais se reuniram em nova assembleia geral na tarde desta terça-feira (29) para avaliar a proposta de reajuste de 3% apresentada pela administração na tarde de ontem (28), em mesa de negociação.
Pouco antes do início da assembleia o sindicato recebeu o documento oficial com a proposta do governo. Após os esclarecimentos iniciais sobre a mesa de negociação, a coordenadora geral do Sintraseb, Sueli Adriano, leu o documento na íntegra.
Ficou constatado que as respostas apresentadas no documento praticamente reafirmavam as mesmas respostas dadas no documento anterior, negando o atendimento das reivindicações apresentadas pela categoria, não apresentando nenhum avanço em relação aos direitos previstos em lei, decisão judicial ou acordo de campanhas salariais passadas (como o pagamento de Hora Atividade integral para a educação, a Avaliação de Desempenho para os aposentados e o Plano de Carreira da Saúde).
Porém, o novo documento traz a posição do governo sobre o reajuste salarial deste ano, indicando que não pretende pagar o INPC integral (previsto entre 10%).
Pela proposta, o governo mantém o pagamento de 1% de ganho real no mês de abril (conforme previsto na Lei 932/2014 – Acordo do fim da greve de 2014) e prevê 2% referentes à reposição inflacionária do período da data-base no mês de maio, comprometendo-se a avaliar o cenário no início do mês de maio, quando o índice do INPC acumulado do período for publicado.
Sobre o vale alimentação o documento indica um reajuste de apenas 2%, ou seja R$ 0,31, ainda menor do que anunciado na reunião de negociação.
O documento não menciona a intenção da administração de encaminhar proposta de alteração da Lei Complementar nº 932/2014, conforme anunciado ontem.

 

ENCAMINHAMENTO DA ASSEMBLEIA
Com a abertura da palavra todas as intervenções feitas pelos servidores indicaram indignação e reprovação da categoria frente à proposta do governo.
A proposta aprovada por ampla maioria considera a necessidade de construção de um movimento de resistência e enfrentamento, buscando a unidade da categoria e o aumento da mobilização, e prevê a realização de uma reunião de representantes na próxima semana, quando cada local de trabalho deverá apresentar o sentimento da base diante da intenção do governo de não pagar o INPC integral (apenas 3,02% | 1% em abril + 2% em maio), trazendo para avaliação o inventário de cada local de trabalho com o índice de adesão da unidade em caso de greve.
A data da próxima assembleia será definida na reunião de representantes, cujo edital de convocação será enviado a partir de amanhã.
É hora de reforçar a mobilização. ‪#‎Nenhumdireitoamenos‬

Veja aqui o documento do governo: http://goo.gl/m5c0Gk