Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Blumenau confirma sétimo óbito por dengue na cidade

Ações preventivas seguem sendo feitas por equipes da Prefeitura. Nesta terça-feira, dia 5 de julho, a Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) e do Serviço de Vigilância Epidemiológica do município, confirmou um novo óbito por dengue na cidade. Agora, são sete óbitos pela doença contraídos. A sétima vítima foi […]

Publicado em 05/07/2022 às 07:15


Ações preventivas seguem sendo feitas por equipes da Prefeitura.

Nesta terça-feira, dia 5 de julho, a Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) e do Serviço de Vigilância Epidemiológica do município, confirmou um novo óbito por dengue na cidade. Agora, são sete óbitos pela doença contraídos. A sétima vítima foi um homem de 71 anos que faleceu no último dia 22 de maio. A confirmação veio após investigação feita pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica do município.

Óbitos por dengue em Blumenau
O primeiro óbito por dengue na história da cidade foi de um homem de 94 anos, que faleceu no dia 21 de março. A segunda vítima foi um homem de 24 anos, que faleceu no dia 15 de maio. A terceira vítima foi um homem de 56 anos que faleceu no dia 7 de maio. A quarta vítima foi um homem de 86 anos que faleceu no dia 9 de maio. A quinta vítima foi um homem de 56 anos que faleceu no dia 31 de maio. A sexta vítima foi um homem de 84 anos que faleceu no dia 14 de maio.

Dengue em números
Blumenau registra nesta terça-feira, dia 5, um total de 8.695 casos confirmados de Dengue na cidade. O número representa 660 a mais do que registrado na última terça-feira, dia 28 de junho, quando o município contabilizava 8.035 casos da doença – o que representa um aumento de 8,21% em uma semana.

Neste ano são 12.817 notificações. Destes, já são 8.943 casos autóctones, ou seja, contraídos em Blumenau. Outros 1.394 são considerados suspeitos e aguardam resultado de exame. Até o momento, a cidade totaliza 2.944 focos do mosquito Aedes aegypti.

Internações
Nesta terça-feira, 3 moradores de Blumenau estão internados em hospitais da cidade com suspeita de Dengue. Todos estão em enfermaria. Até agora, o Blumenau totaliza 7 óbitos por Dengue no município.

Blumenau vive epidemia de Dengue
A caracterização de epidemia ocorre pela relação entre o número de casos confirmados e de habitantes. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes. Em Blumenau, essa confirmação veio porque o município ultrapassou a marca de 1.050 casos confirmados da doença.

Ações seguem sendo feitas
Os mais de 110 agentes de endemias seguem, diariamente, vistoriando residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos do mosquito. Conforme demanda, as equipes da Secretaria de Conservação e Manutenção Urbana (Seurb) e do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) são acionadas para recolher materiais e entulhos em locais específicos.

Em Blumenau, os moradores podem fazer o descarte de eletrodomésticos da linha branca por meio da Central de Resíduos Sólidos do Samae, localizada na Rua Engenheiro Udo Deeke, 430 – fundos do Terminal Aterro. No local, a equipe dá a destinação correta para cada tipo de resíduo. O serviço não tem custo. Mais informações podem ser obtidas diretamente pelo telefone 115 do Samae.

Sinais e sintomas
A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

Atendimento Ambulatorial
Ambulatórios Gerais da Família (AGF) fazem atendimento ambulatorial nos bairros da cidade. A AGF Velha; AGF Escola Agrícola; AGF Garcia; AGF Fortaleza; AGF Itoupava; AGF Badenfurt e AGF Centro funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h. As unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) também oferecem atendimento à população. O endereço e horário de atendimento das unidades habilitadas está no site da Prefeitura.

A orientação é que os usuários levem sempre o documento oficial em formato físico para facilitar a logística de atendimento. A distribuição de senhas e acolhimento dos pacientes são feitos até uma hora antes do encerramento das atividades, para que os profissionais possam organizar o fluxo e garantir atendimento a todos em tempo hábil.

Denúncias
A população também pode denunciar locais com possíveis focos do mosquito, entrando em contato com o Programa de Combate à Dengue, por meio do OuvidorSUS no telefone 156 (opção 4) ou pelo telefone 3381-7770. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Como evitar a proliferação do Aedes aegypti:

– Elimine água parada de todos os recipientes
– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda
– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo
– Mantenha lixeiras tampadas
– Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água
– Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água
– Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana
– Mantenha ralos cobertos com telas de malha filha para evitar que o mosquito tenha acesso ao local
– Lave recipientes com depósito de água, como potes de comida e água dos animais, com escova ou esponja e detergente, no mínimo uma vez por semana
– Se for necessário que o recipiente fique com água, como no caso de ralos, utilize hipoclorito
– Retire a água acumulada em lajes
– Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados
– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário
– Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue