Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

Acusado de matar artista plástica é condenado a 26 anos de prisão por homicídio em Blumenau.

O Tribunal do Júri da comarca de Blumenau condenou um homem, denunciado pelo Ministério Público, pela morte da ex-namorada, artista plástica, ocorrida em julho do ano passado. O réu cumprirá pena de 26 anos de reclusão, um mês e cinco dias de detenção e 10 dias-multa. O réu foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado – […]

Publicado em 24/10/2019 às 06:25


Foto: Divulgação.

O Tribunal do Júri da comarca de Blumenau condenou um homem, denunciado pelo Ministério Público, pela morte da ex-namorada, artista plástica, ocorrida em julho do ano passado. O réu cumprirá pena de 26 anos de reclusão, um mês e cinco dias de detenção e 10 dias-multa. O réu foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado – por motivo torpe, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio -, ameaça e porte ilegal de arma de fogo. O homicídio ocorreu no dia 25 de julho de 2018, dentro da casa da mãe da vítima, no bairro Itoupava Central. 

De acordo com os autos, o denunciado pulou o muro da casa da ex-sogra no bairro Itoupava Central, entrou no local e sacou a arma que até então estava escondida na bainha da calça. Depois de empurrar a ex-sogra, ele teria ido até o banheiro, onde a vítima tentou se esconder, e efetuou um disparo de arma de fogo contra a cabeça de vítima. O ex-namorado teria tirado a vida da artista plástica para que “ela não se envolvesse com mais ninguém”, segundo a denúncia do MP.

A sessão de julgamento teve início às 9h30min de quarta-feira (23/10), quando o Conselho de Sentença foi formado para apreciar a causa, e encerrou às 22h30min. Durante 13 horas, o júri formado por quatro mulheres e três homens ouviu cinco testemunhas e informantes – incluindo a mãe da vítima, que presenciou o crime -, o réu, a acusação e a tese da defesa. Atuou na acusação o promotor Odair Tramontin, os assistentes Alexandro Roberto Maba e Guilherme Piza de Souza Rodrigues, e na defesa do réu os advogados Jeremias Felsky, Ediléia Buzzi e Werner Neuert. 

Com a presença de familiares do réu e da vítima, amigos, universitários de direito e imprensa regional, a sessão do júri popular ocorreu no fórum da comarca de Blumenau e foi presidida pela juíza Cibelle Mendes Beltrame, da comarca de Blumenau. O réu, preso preventivamente dois dias após o crime, cumprirá pena no Presídio Regional de Blumenau.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros
Foto: Divulgação.