Whatsapp
   jaimebnu@terra.com.br
  • Diversos

A situação das ambulâncias do Samu de Blumenau preocupa a todos. Prefeitura de Blumenau faz contato com Governo do Estado para solicitar viaturas do Samu.

Das três ambulâncias do atendimento básico do município, duas estão na oficina. Das três unidades de atendimento básico que o município dispõe, duas estão na oficina. Uma delas deve voltar a circular na próxima semana, e a outra tem um laudo que impede de voltar às ruas. O uso diário e constante, nas condições em que são expostas, faz com que as ambulâncias se deteriorem rapidamente, o que gera altos custos à Prefeitura. Para se ter ideia, a Administração Municipal gasta, por ano, cerca de R$ 2,3 milhões com manutenção. Com o intuito de não comprometer o atendimento à população, a Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) disponibilizou uma viatura interna, usada para serviços da Atenção Básica, para suprir a falta da ambulância que não poderá mais ser utilizada.   Profissionais do Samu Uma reunião entre a Secretaria de Administração e a Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) será feita nesta quarta-feira, dia 3, para decidir se os profissionais do Samu que estão atualmente ociosos por falta de viatura serão realocados a outros serviços da Saúde municipal. Foto: Marcelo Martins.

Publicado em 03/10/2018 às 11:51


A situação das ambulâncias do Samu de Blumenau preocupa a todos.  Prefeitura de Blumenau faz contato com Governo do Estado para solicitar viaturas do Samu.
Das três ambulâncias do atendimento básico do município, duas estão na oficina.

Foto: Marcelo Martins.

A situação das ambulâncias do Samu de Blumenau preocupa a todos. A Prefeitura de Blumenau iniciou contato com o Governo do Estado para oficializar a solicitação de novos veículos de emergência. O Estado tem a responsabilidade pela troca das viaturas, e o município pela manutenção e profissionais. Ainda não há previsão para a vinda das ambulâncias.

Das três unidades de atendimento básico que o município dispõe, duas estão na oficina. Uma delas deve voltar a circular na próxima semana, e a outra tem um laudo que impede de voltar às ruas. O uso diário e constante, nas condições em que são expostas, faz com que as ambulâncias se deteriorem rapidamente, o que gera altos custos à Prefeitura. Para se ter ideia, a Administração Municipal gasta, por ano, cerca de R$ 2,3 milhões com manutenção.

Com o intuito de não comprometer o atendimento à população, a Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) disponibilizou uma viatura interna, usada para serviços da Atenção Básica, para suprir a falta da ambulância que não poderá mais ser utilizada.

Profissionais do Samu

Uma reunião entre a Secretaria de Administração e a Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) será feita nesta quarta-feira, dia 3, para decidir se os profissionais do Samu que estão atualmente ociosos por falta de viatura serão realocados a outros serviços da Saúde municipal.

Assessora de Comunicação: Julia S. Schaefer.